quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Exterior da Igreja St. Matthäus - registos do meu diário gráfico

2 comentários:

Joana Quintino disse...

Há vinte e dois anos "jour pour jour", quando tu tinhas apenas quinze dias (no dia em que tu, minha primeira filha, fizeste quinze dias) a minha mãe morreu.

Como disse o Zé Miguel,na altura, em pouco tempo eu fui muito "visitada" (não recordo o termo exacto) pelos "mistérios da vida": Vida e Morte; Maternidade e Orfandade!!!

O facto de teres posto no seu dia uma igreja, aparentemente por acaso, faz-me sorrir!

Obrigada!

sara disse...

Querida Camila, foi optimo este bocadinho aqui à conversa com cores e som, com cervejas e cigarros! Que saudades, que bom!

Agora só há que esperar pelo dia, já com hora marcada! Ainda bem que ninguém espera por ninguém e chegamos todos nos mesmo dia!

Um grande beijo!!
Sara