segunda-feira, 13 de outubro de 2008

 
Primeiro registo audiovisual.

14 comentários:

Anónimo disse...

bue profissional!
ass:maria

Joana disse...

Peso, impotência, confusão, ausência de saída.
Vi este filme como um homenagem que prestas àqueles que se sentiram encurralados por uma loucura que se apoderou de algumas pessoas desse país (e não só), dessa cidade durante muito tempo (mais do que um dia encurralado é muito tempo!). Também a prestas às pessoas que criaram esse memorial (gosto muita desta palavra). O teu pequeno filme revela bem a intenção do monumento.
Parabéns pela banda sonora!

Os passos recordaram-me o começo da gravação original de Grândola Vila Morena.
Fiquei mais leve com essa a lembrança.

M.Reis disse...

À primeira vista parece um labirinto mas trata-se de uma prisão especial: a cadência dos passos (como a aproximação do carrasco), os movimentos da câmara (como o olhar da sentinela) à procura da música proibida de que desconhece a origem, os longos corredores geometricamente vazios (como os patamares das celas), os enormes blocos (como o peso da morte e da impotência), a luz que se avista ao fundo onde se vislumbram pessoas virtuais, a intensidade dos passos a apressar o destino das vítimas e, inesperadamente, uma enorme floreira que anuncia um novo mundo. Os blocos transformam-se em bancos, a música reaparece nítida e cristalina, a luz ilumina a cidade, as cores invadem a paisagem e as pessoas ganham corpo e alma.
Em três minutos contou-se uma longa história. Parabéns Camila.

António Quintino disse...

quem escolheu a banda sonora tem jeito para isto pá!

beijinhos e boa sorte!

Carlinha disse...

Querida, Camila, adorei! Que palavras há a acrescentar a este filme mudo e cheio de sons? Nada.

Obrigada por partilhares connosco e parabéns, estás na cidade certa para a tua grande veia artística.

P.S. Tb é dos meus cantos favoritos em Berlim.

Beijinhos e boa continuaçao

Joana disse...

Há precisamente vinte e dois anos,no dia quinze de Outubro, numa quarta-feira, como hoje, quinze minutos antes da uma hora, nasceu uma linda menina a quem os pais puseram o nome de Camila.

O nascimento foi rápido e atribulado.Quando trouxeram a Camila junto da mãe, as duas olharam-se, reconheceram-se, e a mãe disse-lhe como estava contente por ela ter nascido,que havia muito tempo que a esperava, muito mais do que os nove meses de gravidez. Ela era a filha sonhada da menina que a mãe tinha sido, da rapariga, da jovem mulher que era. Tinha sido muito desejada, sonhada, esperada. Se calhar foi peso a mais para os seus ombrinhos de recem-nascida!Os irmãos já não tiveram tanta carga. ela é que ainda teve que "aparnhar com eles"! Os primeiros filhos têm esta herança.

Ainda bem que agora podes sacudir um pouco desta carga de filha mais velha, de filha tout court.

Aproveita bem este tempo! Parabéns,minha linda filha Camila!

Madalena Crespo disse...

Camila ainda não tive oportunidade de ver o video porque não tenho colunas aqui no trabalho, mas ja vi quase todos os outros posts, estás de PARABÉNS... e a dobrar ;) (pelo blog e todos os seus textos e desenhos e pelo teu dia especial)

Vou continuar a vir aqui.

Espero que continues a gostar da estadia e que este dia te corra pelo melhor.

Muitos Parabénsssss (e mais uma vez a dobrar)

Manel disse...

Bom dia filha! Só agora, depois de ver o texto da mamã, pensei que era uma boa ideia deixar também aqui uma mensagem no dia de hoje, 15 de Outubro. Ao longo destes vinte e dois anos estes dias têm sido comemorados das mais diferentes maneiras e esta, "from Lissabon to Berlin", também é original! O teu filme termina com uma saída para a luz e para a vida! É uma mensagem para o dia dos teus anos! PARABÉNS DUPLOS (como diz a Madalena)! Muitos beijinhos! Papá.

sara monteiro disse...

PARABÉNS, menina Camila! Encontra-se muita gente conhecida por aqui:), filhos e tudo!:)
Tenho gostado muito dos teus posts e do filme especialmente. E especialmente também do post O Homem é todo Igual.
Nós também por aqui andamos por sítios mais ou menos diferentes, mas vamo-nos encontrando neste café.
A vida tem mudado muito, especialmente os cafés. Mas é claro, é como o Homem: a vida é toda igual e os cafés têm o mesmo fim.
Beijinhos, um óptimo dia. Aparece também para beber ou comer qualquer coisa. Eu levo bombons!

sara monteiro disse...

Ou queres outra coisa? Vê lá! É só pedir!...

sara disse...

Miuda, fiquei toda sensibilizada com as palavras da Joana, tua mae! (típico) Mas ainda bem que houve essa responsabilidade sobre os teus "ombrinhos"! Viva à mulher que és!

O video está óptimo sem dúvida! E ainda bem que o partilhas, porque esse monumento às vitimas é impressionante e nunca se fica indiferente. O melhor é que com o video consegui sentir aquilo que senti quando estive por lá a primeira vez. Muitos Parabéns!

Fico contente por ver o céu azul de Berlin e o sol nos edifícios! Ai que bom! Por aqui também nao chove e faz um tempo bestial!! Como o Francisco disse: "Espero que o sol venha tb comigo ou q saiba pelo menos onde vou estar!"

Muitos beijos,
Sara

Anónimo disse...

Ché dama, back to the fine arts roots? Boa boa, é bom saber que não lhe perdeste o gosto e que mantens o jeito!

Beijo Beijo
Mariana

June disse...

Adorei a forma como juntaste as duas _ a imagem e a música. E sim, o Manel diz bem, em pouco tempo contou-se uma longa história.
Parabéns pelo post e parabéns atrasados pelo teu aniversário.
Beijinhos e continua que, como vês, estamos todos a gostar muito.

Camila Reis disse...

Vim aqui até ao "café" finalmente! Quero agradecer a todos (a cada um de vocês) pelos comentários que são tantos e tão queridos!
Muitos beijinhos a todos!
Camila